Técnica 57 - Terapias Jurídicas

Quando alguém está em conflito, existem dois caminhos terapêuticos diferentes, mas complementares, a seguir. A primeira é a Terapia Jurídica da Pacificação. A segunda é a Terapia Jurídica da Libertação. Entenda mais sobre elas a seguir.
A Terapia Jurídica da Pacificação é uma ação psicoterapêutica, pois ela se volta para o indivíduo. Conflitos começam sempre internamente e ali deveriam ser normalmente resolvidos. Portanto, o primeiro olhar terapêutico seria entender que a gênese do conflito esta dentro de si.

A Terapia Jurídica da Libertação é uma ação terapêutica, pois ela se volta para a solucionática do conflito. Nela, o indivíduo inicia se processo de libertação do karma estabelecido, buscando todas as formas possíveis de resolvê-lo e recompor o ocorrido. Portanto, neste passo, o olhar terapêutico está em entender que a solução do conflito perpassa por sua recomposição objetiva.

Desse modo, na essência, a ideia de uma Terapia Jurídica tem duas dimensões principiológicas, que se complementam. A primeira, interna, é a da autopacificação. A segunda, externa, é a da libertação.