Técnica 40 - Aceitação

"Ao vencedor as batatas", como disse Machado de Assis. Trata-se de técnica essencial à acelerar a resolução do conflito, que está ao alcance do réu e pode ser utilizada a qualquer momento do curso de uma ação. Uma vez verificado que o autor tem tais prerrogativas, o melhor a fazer é buscar o acordo e aceitar a necessidade de pagar o devido. Isso encerra a relação conflitiva em curso e liberta as partes.

Aceitar a demanda do autor não é fazer uma concessão, é atender ao correto, se aquilo tem fundamento de ser. Isso significa assumir para si o princípio da responsabilidade e honrar com as obrigações havidas e por você criadas.

Assumir a responsabilidade e não pagar, conduz à frase popular: "Devo, não nego, pago quando puder." Trata-se de uma conduta parcial de aceitação. Pode ser movida por uma situação momentânea de falta de recursos, mas que deve ser resolvida imediatamente quando possível.

Aceitar a cobrança e pagar o que se deve, quando justo e acordada aquela obrigação, é princípio civilizatório de operabilidade e eticidade das relações contratuais. Nada mais, nada menos, pois envolve o correto funcionamento da sociedade e contribui para circulação de riquezas a a produção de renda para todos.

Se esse ciclo de contratações e pagamentos é rompido, o funcionamento econômico de toda a sociedade é prejudicado. Daí a importância de sua manutenção e fiel cumprimento.

Aceitar as responsabilidades e honrá-las é essencial para a formação do caráter e serve de indício do nível de ética pessoal nas relações.

Quem não aceita as próprias responsabilidades, em geral tende a projetar a culpa por sua omissão nos outros ou em alguma causa externa. Isso pode ser uma justificativa plausível, quando há uma causa real e efetiva. Não obstante, servir de justificativa para tudo e por vasto período de descumprimentos, refletirá uma conduta a ser reciclada.

Por outro lado, se alguma forma de aquisição material está acima de suas possibilidades, consumir algo é um ato de irresponsabilidade que deve ser evitado, pois a decorrência será o descumprimento do pagamento, contra o qual, a mera aceitação de ser devedor não fará sentido.

Daí a necessidade, não de aceitar sua condição econômica momentânea, mas de focar sua energia no estudo, no trabalho, na busca de uma melhor situação futura.