Técnica 30: Insights Pacificadores

Existem duas formas básicas de resolver problemas/conflitos. A mais comum delas é o uso dos meios racionais, na utilização de técnicas visando construir um consenso em torno de uma proposta que contemple os interesses das partes.

A segunda forma de resolver problemas/conflitos, na verdade é uma decorrência da primeira possibilidade e diz respeito à construção das propostas que, não partem necessariamente de uma plano racional, consciente, mas sim, de insights pacificadores, obtidos do inconsciente.

Na aplicação da técnica, o mediador deve orientar as partes, durante a suspensão da audiência de mediação, a visualizar soluções, pensar sobre o assunto, com racionalidade, mas permitindo também o surgimento de novas ideias, capazes de resolver a pendência, advinda de sonhos, devaneios, epifanias, novas percepções e emoções.

O importante é o foco na busca de soluções, manter a atenção dirigida ao assunto, até a próxima audiência e assim, permitir que além do processo consciente, o inconsciente atue a favor do surgimento de insights pacificadores. 

É natural o surgimento desses insights, uma vez que eles permitem retirar a pressão emocional do conflito, sobre o indivíduo e assim, reequilibrar o emocional, pela erupção cognitiva de uma possibilidade, capaz de gerar a pacificação íntima.

No retorno à audiência, deve ficar inicialmente acordado que não será tolerada qualquer tipo de ironia, sarcasmo ou desprezo pelas propostas apresentadas, visando não incentivar novas desavenças. Deve ficar claro às partes, pelo mediador, que a solução do problema é o foco central e que aquelas propostas são expressão da pacificação íntima das partes, em primeiro lugar.

Após isso, as partes devem apresentar suas ideias para a solução, cada uma de sua vez. O mediador anota e verifica as propostas semelhantes. Verifica em que há acordo nas propostas e o que ainda necessita ser ajustado, dando continuidade à negociação.