Técnica 28: 2 x Mais se Perde do que se Ganha

Estatísticas indicam que normalmente as pessoas valorizam duas vezes mais o que se perde, do que ganham. Desse modo, é importante ao mediador de conflitos identificar e ressaltar não só os ganhos obtidos com a resolução pacífica dos conflitos, mas também o que se perde, ao não se chegar a um acordo.

Isso ocorre porque existem mecanismos psicológicos da perda são mais ressaltados do que os mecanismos do ganho, já que aquilo que se perde é constantemente evocado do inconsciente pelo superego, enquanto o que se ganha geralmente não.

Perder gera um processo de culpa, castração e revisão, necessário à aprendizagem do indivíduo, para que seu sistema estrutural e emocional revise as ocorrências da vida e tenham novas atitudes em face de novas vivências futuras. Nesse sentido, seu efeito pedagógico é evidente e útil ao amadurecimento individual.

Demonstrar o que se perde, ao não se fazer o acordo, em termos claros e objetivos, é uma técnica a ser usada pelo mediador e deve ser usada durante a audiência, assim como antes de sua interrupção, favorecendo que, durante o intervalo de alguns dias, as partes possam refletir sobre essa possibilidade.

Assim, no uso desta técnica, para ampliar sua eficácia, haverá a necessidade de interrupção da audiência, para que esse processo psicológico entre em curso e a oportunidade do acordo aumente durante esse período.

Logo, quando o acordo não evolui, será providencial a interrupção dos trabalhos, com o mediador pedindo às partes para refletirem sobre a oportunidade do acordo no retorno, tendo em vista, não somente o que se ganha com ele, mas (de maneira ressaltada), o que irá ser perdido.