Técnica 26: Rotulagem

Rotulagem é uma forma comunicativa humana de categorizar, estratificar e identificar características no outro. O rótulo pode ser positivo, quando se menciona alguém por suas qualidades, por meio de um elogio, o reconhecimento e a afinidade. O rótulo é negativo quando se verifica no outro deficiências físicas ou morais, ou se atribui algum traço negativo a uma  conduta realizada.

Como a relação com o outro se opera sempre no campo da comunicação por meio da linguagem, é pela linguagem que se faz a rotulagem e, como visto, ela pode tanto aproximar quanto afastar alguém.
 
Nesse sentido, assim como reconhecer atributos positivos é uma forma de se estabelecer laços de amizade, ao se rotular negativamente alguém, estar-se-á criando um conflito. Isso ocorre porque a interação linguística entre duas pessoas é sempre instantânea e, uma vez emitida uma informação de rotulagem negativa, ela imediatamente será repelida da mesma forma pelo outro.
 
Desse modo, uma forma de se evitar conflitos é não se rotular. Isso se faz evitando-se pensar no outro a partir de seus atribuídos negativos. Aqui vale aquela frase popular: "ninguém é perfeito". Logo, se todos possuem defeitos, qual a utilidade de se viver identificando os defeitos alheios? Nenhuma, a menos que o indivíduo possua baixa estima e utilize dessa estrutura de linguagem para compensar sua situação emocional, erroneamente percebida.
 
Em termos de técnica de controle social, a rotulagem negativa é também usada para se dividir as pessoas, criando guetos e colocando uns contra os outros, para que assim se possa controlar o conjunto e evitar que o foco das insatisfações sejam canalizado aos reais criadores de problemas sociais. Isso já foi usado para incentivar guerras e até realizar genocídios na história da humanidade.
 
De outro modo, parece ser de melhor prática e sucesso existencial a opção pela não-rotulagem ou rotulagem positiva. A não-rotulagem evita que surja o conflito, pois a ocorrência do conflito requer essa identificação do errado no outro. Sem ela, não há conflito. Com a rotulagem positiva agrega-se o outro, cria-se um espaço de cordialidade e acolhimento, permitindo o estabelecimento da confiança e da aceitação.
 
Quando há um conflito em curso, a existência da rotulagem negativa está presente. Nesse sentido, para se desfazer o conflito, as partes devem realizar o procedimento mental de localizar aquele ponto que inicializa o processo de antagonismo com o outro. Há que se verificar individualmente isso. Muitas vezes é possível saber isso só de ouvir a pessoa dizer: "Só de pensar no jeito de falar daquele fulano, que já me irrito". Descoberto esse mecanismo inicial de rotulagem negativa, o ideal é evita-lo. Quando ocorrer, imediatamente mude o assunto mental. Por exemplo, começa a falar de alguma coisa que lhe dê prazer (da próxima viagem à praia).
 
O seguinte passo para melhora a relação conflituosa já estabelecida é a técnica da empatia. Colocar-se no lugar do outro. Imaginar como você seria se tivesse aquele jeito de falar, por exemplo. Ver-se falando assim. Ver como se sentiria e como os outros agiriam com você, ao se portar assim. Ver as dificuldades inerentes a aquele determinado comportamento e, porventura, o que a pessoa passa ou passou para estar naquela situação, também ajudará a romper com a rotulagem negativa. Feita a empatia, a rotulagem negativa deixa de existir, pois se passa a ver o outro enquanto pessoa, a partir de suas dificuldades.
 
Por fim, a finalização do processo mental conflitivo encerra-se quando qualidades passam a ser verificadas no outro. Além de serem verificadas, essas qualidades devem ser exteriorizadas, verbalizadas, para que a comunicação seja refeita e as barreiras desfeitas aos poucos.

Mentalizar as qualidades do outro já pode ser um primeiro passo de reaproximação, que irá ocorrer, pois, como foi dito anteriormente, é instantâneo o processo de conexão comunicativa e, logo, quem dá o tom dessa comunicação é quem entende o processo.

Caso o outro é quem esteja vincado ao processo de rotulagem negativa, além de buscar estabelecer todo o procedimento de rotulagem positiva com ele, há duas saídas possível. Clarear as coisas, deixando-se bem estabelecido a ele que aquela rotulagem lhe causa mal e que não concorda que as coisas sigam por esse caminho relacional. A outra saída possível, será se afastar de maneira defensiva, mas mantendo a rotulagem positiva. Por vezes, é o que se há a fazer, no momento.