Técnica 25: Dois Níveis de Atenção

O atendimento em mediação, especialmente aquele feito nos Juizados Especiais, poderia ganhar um grande aliado, quando da adoção de dois níveis de atenção diferenciados.

Por dois níveis de atenção diferenciados se entende duas instâncias de atendimento a serem realizadas no transcorrer da audiência de conciliação. A primeira delas é a fase tradicional conciliatória, na qual as partes tem obrigatoriamente que passar, ao postular uma ação perante os Juizados.

Quando o conflito verificado pelo conciliador era de ampliado contingente emocional devido ao contato constante, iminente e próximo entre os litigantes (exemplo de vizinhos, familiares ou ex-companheiros, ex-sócios), a audiência era suspensa.

Com isso visava-se evitar a agressividade nessa relação, observada durante a audiência, encaminhando as partes para outra sessão, nas quais elas seriam atendidas por um psicólogo e outro conciliador.

Com isso, buscava-se um duplo grau de atendimento, no qual haveria espaço para se aprofundar as origens do conflito e se buscar soluções psicológicas para as partes.

Esse diferencial do próximo nível de atenção tem origem em experiência realizada há alguns anos atrás, perante os Juizados Cíveis da cidade de Curitiba, pelo Prof. Aureo Simões, presidente da ABRAME (Associação Brasileira de Árbitros e Mediadores - www.abrame.com.br).

Os resultados verificados foram bastante animadores, com a resolução de problemas entre as partes, os quais não tinham origem naquele objeto disputado na ação, mas sim, em questões emocionais profundas a gerar a disputa.